XEROSTOMIA – ” Boca seca”

14 Aug XEROSTOMIA – ” Boca seca”

Xerostomia é o sintoma de secura bucal, enquanto hipossalivação é a produção diminuída de saliva devido à hipofunção das glândulas salivares (SREEBNY, 1988). No entanto, quando a xerostomia é resultado da redução do fluxo salivar, significantes complicações orais pode ocorrer prejudicando seriamente a qualidade de vida da mulher.
Alterações como ardência bucal, alterações no paladar e xerostomia trazem como conseqüência o desconforto oral que prejudica a qualidade de vida, no entanto, hipossalivação pode trazer conseqüências mais sérias como aumento da incidência de cáries, doença periodontal e candidíase (ASTOR et al., 1999; BRUNETTI; MONTENEGRO, 2002; PINTO-COELHO et al., 2002; SHIP; PATTON; TYLENDA, 1981).
Haverá o aumento dos níveis de desmineralização dental quando a propriedade antimicrobiana da saliva estiver diminuída e sem o sistema tamponante. As ulcerações e fissuras na mucosa oral podem estar relacionadas à deficiente atuação da mucina, deixando a mucosa oral desprovida de sua proteção contra traumas e desidratação.
Fatores que podem desencadear :
a) Fatores que afetam o centro salivar: emoções, jejum frequente, Doença de Parkinson, menopausa(controverso);
b) Fatores que alteram a secreção autônoma da saliva como as encefalites, tumores cerebrais, tabagismo e a desidratação do doente, bem como muitos fármacos (cerca de 400). Destes destacamos os opióides, os anti-histamínicos, os antidepressivos, os anti-epilépticos, os ansiolíticos e os anti-colinérgicos, fármacos frequentemente empregues em cuidados paliativos. Esta é a causa mais frequente de xerostomia em cuidados paliativos.
c) Alterações na função da própria glândula, tais como: obstrução, infecções, tumores, excisão das glândulas, cálculos, doenças auto-imunes e radioterapia. A extensão da lesão induzida pela radioterapia depende do volume das glândulas irradiado, em especial das parótidas, da dose total e da técnica utilizada. Habitualmente assiste-se a uma fase aguda de xerostomia causada pela radioterapia que surge logo à primeira semana mas também pode haver um efeito mais tardio e permanente de compromisso da função. Ou seja, após alguma recuperação da secreção salivar esta pode regredir mais tardiamente e de modo irreversível. As alterações iniciais caracterizam-se por infiltrados inflamatórios, degenerescência e necrose celular, especialmente das células serosas. As alterações tardias caracterizam-se por infiltração linfocitária, dilatação dos ductos, atrofia e fibrose.
CROPCL – 16651
RT – Beneval José dos Santos Júnior
CRO:97162